X-Men Gold perde seu ilustrador
Preloader

Nesta terça-feira (11) a Marvel divulgou um comunicado onde confirma a demissão do desenhista Adrian Syaf da posição de ilustrador principal da saga X-Men Gold, após controvérsias quanto ao estilo de suas ilustrações para a edição #1.

A arte de Syaf ainda estará presente nas edições #2 e #3, pois não daria tempo de mudar sem atrasar o lançamento previsto das revistas, que é semanal. Das edições #4 à #6 a arte será comandada por R.B. Silva, das edições #7 a #9, quem colocará seu nome como ilustrador será Ken Lashley.

Porém, a editora não pretende manter o ilustrador não definido por muito tempo, segundo o comunicado, em breve saberemos quem será o responsável pela arte definitiva da HQ.

Eis o comunicado na íntegra liberado pela Marvel:

“A Marvel decidiu terminar imediatamente o contrato de Adrian Syaf. X-Men #2 e #3 ainda terão as artes de Syaf, pois já haviam sido enviadas para serem impressas. As edições #4, #5 e #6 serão desenhadas por R.B. Silva e as edições #7, #8 e #9 serão desenhadas por Ken Lashley. Um ilustrador permanente será designado para X-Men Gold nas próximas semanas.”

A grande controvérsia envolvendo Syaf na verdade passou desapercebida pela editora e pelo mercado americano. Foram os fãs da Indonésia que notaram que as ilustrações de Syaf inseriam pequenas referências políticas e religiosas de forma um tanto clandestina. Assim que notou o que acontecia a Marvel informou que o cartunista seria punido.

“A arte mencionada em X-Men Gold #1 foi inserida sem conhecimento e escondida nos relatórios de significados. As ditas referências não representam as visões do escritor, dos editores e nem mesmo da Marvel e estão em oposição direta à política de inclusão da Marvel Comics e do que os X-Men representam desde sua criação. A ilustração será removida das edições seguintes impressas ou digitais e substituídas. Medidas disciplinares serão tomadas.”

Na época, a Marvel não especificou quais seriam as medidas disciplinares, porém não tardou a revelar a demissão do desenhista. Após toda a polêmica o próprio Adrian Syaf admitiu que sua conduta foi errada e que sua carreira estaria acabada.

“Agora minha carreira acabou. É a consequência dos meus atos e eu a aceito. Por favor, parem de zombar, sem debates, sem mais ódio. Espero que tudo fique bem.”

Willow Wilson, criadora da personagem Ms. Marvel e muçulmano, também escreveu sobre Syaf e a controvérsia de X-Men Gold no domingo.Wilson ficou muito incomodada com toda a repercussão negativa que o colega trouxe aos quadrinhos.  Ela não poupou palavras e foi bem explícita em seu desgosto sobre a questão, confira:

“Só tenho a dizer que Adrian Syaf pode continuar com sua filosofia de bosta. Ele cometeu suicídio profissional; ele logo se tornará irrelevante. Porém seus atos sem sentido continuarão a prejudicar um monte de muçulmanos que querem tentar uma carreira nos quadrinhos. Pelo que pude notar pelos posts do Facebook, ele estava tentando pedir por uma retaliação por Charlie Hebdo. Ele não quis dizer nada com isso; só não entendemos a nuance e a intolerância sutil do local. Muito bem isso fez a ele. Adeus, Adrian Syaf. Mal o conhecemos, mas acho que foi o suficiente.”

Vale lembrar que em meio a toda a controvérsia sobre a venda dos quadrinhos com diversidade da Marvel, as atitudes antissemitas e anticristãs de Syaf podem refletir de forma negativa na editora em um nível muito maior do que apenas reclamações dos fãs indonésios. Essas atitudes podem criar uma aversão a personagem de Wilson, por exemplo. Kamala Khan é uma personificação nada convencional, mesmo que genial, da Ms. Marvel. É Paquistanesa, muçulmana e inumana. O mundo vive um momento político frágil, principalmente no que diz respeito a religião como vem sendo visto na guerra da Síria.

Esperemos que as atitudes de Syaf não criem um prejuízo ainda maior contra os personagens de diversidade da editora.

Revisado por: Bruna Vieira.

About the Author

Apaixonada por quadrinhos, animações e tudo relacionado à cultura pop. Escritora ávida e leitora mais ávida ainda. Sejam bem-vindos, mas não se sintam em casa. Sejam educados, por favor!

%d blogueiros gostam disto: