“A Soma de Todos os Beijos é a soma de tudo o que amo no quesito romance de época”
Preloader

Publicado pela Editora Arqueiro, A Soma de Todos os Beijos é o terceiro livro do Quarteto Smythe-Smith.
Após conhecermos Marcus e Daniel, chegou a vez de embarcamos na história de Hugh Prentice, que nunca perdera em um jogo de cartas, com uma mente excepcional, ele sempre teve o dom de contar as cartas, até que Daniel mudasse isso.
Ao duelar com Daniel Smythe-Smith, Hugh teve sua vida poupada por pouco, mas a consequência do ato será para a vida toda.

“ – […] O fêmur. O médico pôs a perna no lugar, mas disse que o osso foi estilhaçado. […]”

Hugh é o segundo filho do marquês de Ramsgate, um homem desvairado que só pensa em seu título. Seu irmão mais velho, Frederick sempre sofrera nas mãos do marquês, deixando o pai tendo Hugh como o filho mais importante.
Com o seu descendente a beira da morte, o marquês faz da vida de Daniel um verdadeiro inferno, que resulta no exilamento do mesmo.
Durante sua longa recuperação, Hugh convive entre a dor, a culpa e a tentativa de tirar da cabeça do pai a vingança contra o seu amigo, o que o leva a uma decisão extrema na qual o pai não terá como negá-la.
Então temos Lady Sarah Pleinsworth, irmã mais velha de Harriet, Elizabeth e Frances, prima de Daniel, ela debutara pouco depois do duelo, fazendo com que tivesse poucos pretendentes. Desse modo, ela culpa Hugh por não ter se casado em sua primeira temporada, e o deixa bem claro do quanto o odeia.

“ – Não me conhece – esbravejou. – Não sabe o que penso ou o que sinto, ou o inferno por que passo todos os dias da minha vida. E, da próxima vez que se sentir tão prejudicada, a senhorita, que nem carrega o sobrenome de lorde Winstead, deveria se lembrar de que uma das vidas que arruinei foi a minha própria.”


Entretanto, três anos se passam e Daniel está de volta, feliz e noivo. Os Smythe-Smiths estão muito prósperos quando a questão é casamento, e Sarah com suas irmãs e mãe viajam para o norte de Cambridgeshire para participar das festividades de Lady Honoria e Marcus e posteriormente, de Daniel e Anne.
Como tudo na sociedade funciona na base das aparências, Daniel quer mostrar a todos que ele não culpa Hugh por nada e que eles são amigos novamente, fazendo com que ele seja obrigado a participar de ambos os casamentos.
Honoria não quer que Hugh se sinta deslocado após tudo o que acontecera, e como ele não pode participar de jogos e bailes, ela pede para que Sarah faça companhia a ele. Sarah não pode dizer não a noiva, muito menos Hugh poderá contrariá-la.
Todavia, ao passo que Sarah se sente obrigada a ficar ao lado dele, ela passa a conhecê-lo e a compreendê-lo melhor, fazendo com que se envergonhe de como o tratara anos antes.

“Daquele momento em diante, Sarah não se perguntou mais por que ele não sorria com muita frequência. Em vez disso, passou a se admirar por ele ainda sorrir.”

E essa proximidade toda pode acabar fazendo com que ambos descubram um sentimento há muito querido por ambos.


Julia Quinn é a rainha dos romances de época, confesso que esse quarteto me surpreendeu e que eu estou muito triste por estar perto do término do mesmo, queria muito mais livros. Me apaixonei pela irmã mais nova de Sarah, Frances, que com sua imaginação vívida e com uma observação perspicaz ilumina a obra nas passagens em que aparece.
Temos novamente a presença da condessa de Danbury, personagem ilustre da série Os Bridgertons, amo essa personagem.
A Soma de Todos os Beijos aborda o quanto os erros mais bobos podem deixar sequelas para a vida inteira, além de que nunca devemos julgar alguém sem antes conhecê-lo.

“ – Uma pessoa muito sábia certa vez me disse que não são os erros que cometemos que revelam o nosso caráter, mas o que fazemos para corrigi-los.”

Sarah é uma mocinha que, em um primeiro momento pode parecer superficial, mas que surpreende com o passar das páginas. Hugh é o mocinho ferido que vive “mal-humorado” e que irá arrebatar o coração do leitor.
Gostaria que a autora tivesse se aprofundado mais em Frederick, pois achei interessante ela mostrar pela primeira vez um personagem homossexual em um romance. Adorei o modo como ela abordou isso no livro e de como Hugh lidara com isso.
Bem, pelo tamanho da resenha já imaginam o quanto eu gostei desse livro, certo?
Lembre-se que devem ler na ordem, pois os livros são BEM interligados.
Super recomendo esse amorzinho!

About the Author

Licenciada em Letras, é tradutora, copidesque, revisora e colaboradora da área de livros do Oracullo. Viciada em Netflix, Doramas, animes, mangás e livros.

%d blogueiros gostam disto: