Crítica - Santa Clarita Diet
Preloader

Anunciada pela Netflix no dia 3 de fevereiro, a série Santa Clarita Diet consegue chamar a atenção não só pelo trailer, como também pelos seus vídeos promocionais. No Brasil, quem participou da brincadeira foi o cantor Fábio Jr., que deu um novo sentido a sua canção mais clássica, “Alma Gêmea”. Confira:

Possuindo uma campanha bem interessante e um tanto inusitada, a curiosidade sempre bate, trazendo aquela vontade de descobrir o que acontece de fato nessa história.

A sinopse é bem simples e tranquila de se sentir inserido. Somos apresentados à pacata cidade de Santa Clarita no subúrbio de Los Angeles, onde vivem o casal de corretores Sheila (Drew Barrymore) e Joel (Timothy Olyphant), e sua filha adolescente Abby (Liv Hewson). A vida para a família é sinônimo de tranquilidade, conforto e tudo anda dentro dos padrões da normalidade.

Certa manhã, Sheila começa a se sentir mal e vomita TUDO – quando digo tudo, é tudo MESMO, incluindo seu coração – e morre. Voltando logo em seguida, ela acaba se tornando uma morta-viva com uma fome insaciável por carne crua. De preferência humana.

 

Com o apoio de Joel, que faz tudo por ela, e de Abby, Sheila agora tenta se adaptar da melhor forma possível com essa “iguaria” adicionada ao seu cardápio. Tudo isso, é claro, sem ser descoberta pelos seus vizinhos fofoqueiros e policiais dos assassinatos que está cometendo.

Protagonizado por Drew Barrymore e Timothy Olyphant, a série é uma comédia com humor negro trazendo uma nova visão aos zumbis. Apesar de ser sanguinária, o tom dela é bem leve e os personagens tentam ver sempre o lado bom da situação. Afinal de contas, Sheila precisa se alimentar e ninguém quer pagar para ver o que acontece com uma zumbi faminta vivendo sob o mesmo teto, não é mesmo?

O interessante de toda a série é que, diferentemente dos zumbis que estamos acostumados a ver nos filmes, Sheila tem a total noção do que faz, se lembra de tudo e vai ficando melhor a cada episódio com sua nova dieta. Ela só fica mais impulsiva – podendo matar pessoas por aí – e fala mais palavrões quando está com fome, mas é carismática e muito engraçada.

É divertido ver que, ao longo dos dez episódios, a transformação de Sheila acaba também por refletir em Joel, que tenta procurar possíveis curas e entender a situação nada favorável da esposa, e de Abby, que vê os atos impulsivos da mãe como uma inspiração para ter uma vida mais emocionante.

Apesar de se passar no mundo real, em Santa Clarita Diet podemos perceber que o enredo foge da realidade, com cenários e acontecimentos que jamais passariam despercebidos no mundo em que vivemos. Porém, isso não incomoda e entendemos perfeitamente que se enquadra no perfil da série, que não se leva a sério. Os palavrões são bem colocados e as cenas inusitadas do casal tentando arrumar novas vítimas para serem devoradas geram boas gargalhadas. Vale a pena assistir para descontrair!

Só não é recomendada para quem tem estômago fraco, porque algumas das cenas mostram a personagem comendo com vontade algumas vísceras. Mas não se preocupe: todas as “carnes humanas” que Drew Barrymore ingeriu foram feitas com gelatina e macarrão!

 

Revisado por: Bruna Vieira.

About the Author

Jornalista apaixonada pelo mundo do entretenimento. Apaixonada pelas coisas boas da vida além de filmes, séries e cultura nerd, ainda não entendeu por quê não escolheu cursar Cinema na faculdade.

%d blogueiros gostam disto: