Quadrinistas se unem para lançar HQ com super-heróis brasileiros
Preloader

Desde 2014 um grupo de quadrinistas brasileiros unidos tentam lançar uma revista em quadrinhos com uma história interligando vários super-heróis 100% tupiniquins criados por eles, buscando valorizar o cenário nacional e até mesmo iniciar um mercado em cima deles. No começo do ano passado, eles conseguiram atingir a meta do primeiro projeto no Catarse e lançaram a HQ Protocolo: A Ordem. Nela, vários fantasiados como Velta, Jou Ventania e Capitão R.E.D. se unem pra combater uma invasão alienígena que começa a assolar o Brasil.

Mas desta vez alguns deles retornam em um novo projeto chamado ALFA – A Primeira Ordem. O projeto busca reunir desta vez heróis nacionais clássicos criados há muitas e muitas décadas como o famoso Capitão 7, criado pela TV Record em 1954 e depois adaptado para uma série de revistas em quadrinhos em 1959. Unindo-se ao Capitão 7 outros super-heróis brasileiros criados em meados da metade do século passado como Capitão Gralha, O Flama, Raio Negro e Homem-Lua devem combater o líder de uma raça alienígena após os eventos de Protocolo: A Ordem, premiada como melhor lançamento independente de quadrinhos no ano passado.

 

 

Entre os envolvidos no projeto, além dos próprios criadores dos heróis, estão Marcio Abreu e Vinicius Townsend, desenhistas que já fizeram trabalhos para a Dynamite Entertainment, editora americana responsável por HQs como Game of Thrones, Xena, Red Sonja e Vampirella. No Catarse o projeto ALFA precisa atingir R$ 20.000 para acontecer sendo o mínimo de contribuição R$ 20. A data limite para que atinjam o valor necessário é 21 de abril.

Detalhes da revista:

Capa em Couche Brilho 170g/m² com Verniz UV Total em cores + Miolo com 48 páginas e Dobra Cruzada em Couche Brilho 115g/m².

Tamanho: 16 x 25cm, (Miolo), Alceamento, Grampo,Refile Tri-Lateral, Dobra com Vinco (Capa); CTP Chemical Free, Fitados.

Mais informações sobre o projeto: ALFA – A Primeira Ordem no Catarse

About the Author

Fã de quadrinhos no geral, amante de Skyrim e filmes com explosões exageradas

  • Meu Herói

    Ficou bacana demais a matéria, sem palavras para agradecer!!

  • John Aaron

    O problema dos personagens de quadrinhos Brs, pelo menos os que conheço, é que os caras não usam muita a criatividade, a maioria dos heróis possuem os poderes, as habilidades e o visual semelhantes, se não copias dos personagens dos norte-americanos… Qual a motivação que alguém que só lê Marvel e DC teria pra ler quadrinhos assim?

    • Meu Herói
    • Meu Herói

      John o nosso objetivo maior é acharmos a identidade do super-herói nacional assim como outros países acharam, mas para isso é preciso criarmos um mercado. É preciso oportunidade e leitores para se achar o que mais agrada e o que não agrada. Dentre mais de 25 super-heróis certamente você vai se identificar com algum. Então dê uma oportunidade aos autores de acharem o tom e o que mais funciona. Forte abraço. Contamos com seu apoio. http://www.catarse.me/alfa

      • John Aaron

        Sim, já conheço a Ordem e também sigo a pagina no Facebook há bastante tempo. Fiquei muito feliz quando eu soube do projeto, porque também tenho sonhos de ter meus próprios personagens em quadrinhos, estou torcendo bastante para vocês!

        Sobre os personagens Brs, já pesquiso a bastante tempo, e provavelmente conheço algum deles, mas essa similaridade com os personagens gringos realmente incomoda… Mas provavelmente se deve por a maioria terem sido criados em uma época sem internet, e eles não tinham tantas fontes de inspiração como tem hoje. Gostei bastante do conceito do Capitão R.E.D, bem mais moderno que a maioria e com um tema bem atual em relação a nossa realidade por aqui.

    • Olá, John, boa tarde! Sabe que para alguns heróis você tem razão, mas muitos heróis são bem legais e a proposta dessa HQ é mostrar ao leitor muitos personagens legais, com roteiro e desenho de nível internacional para no final, o próprio leitor dizer de qual gostou mais ou não. Existem também dezenas de heróis americanos que são horríveis e cópias deslavadas de outros heróis também. Mas, partindo do ponto de que praticamente todo quadrinista que desenha heróis curte neróis, é muito provável que ele acabe colocando uma característica ou outra de seu herói favorito, não acha? Creio que você sabe que nosso querido e idolatrado Batman é fruto da referência de 3 personagens que já existiam antes dele: Drácula + Sherlock Holmes + Zorro, você sabia? Estas eram as grandes referências do Bob Kane na época e adivinha o que aconteceu quando criou seu herói? Voilá: Acabou usando-as na criação de seu maior personagem, que virou o que virou. Então, penso que também, estamos tentando ajudar autores que gostam de heróis (como nós mesmos) e criarem os seus, de serem livres para usar referências ou não e mostrar isso aos nossos leitores. Talvez a maior motivação, John, é a “descoberta”, o convite para conhecer a criação de autores dedicados e que acreditam e se divertem com seus personagens. Em ajudar um mercado a dar oportunidade para criadores exporem seus personagens sem medo ou receio, mas com ouvidos e mentes abertas para críticas dos leitores. Espero ter contribuído com a sua dúvida. Abração e se der, cola lá no nosso projeto e deixe seu comentário por lá!

      • John Aaron

        Boa tarde, obrigado pela resposta. Na verdade você me animou bastante, estava um pouco descrente com a HQ e com os personagens, mas você realmente me animou muito para o assunto, vou começar a pesquisar mais… Realmente estou torcendo bastante por vocês!

        Conheço as inspirações do Batman e também do Coringa e o Homem que Ri, ou do Superman com o Flash Gordon, Buck Rogers etc. Colocar a característica de outro herói que o quadrinista gosta em um personagem é natural, mas quando coloca os poderes e aparência muito semelhantes à personagem famosos geram estranheza e preconceito. principalmente nas pessoas que são estão habituadas a ler, pra falar a verdade nesse ultimo ate eu tenho um pouco em alguns casos.

        Bem, pra mim não existem personagens ruins, existem personagens mal escritos ou que não conseguiram assumir seu verdadeiro potencial, um exemplo disso é o Supreme do “mestre” Rob Liefeld que foi reformulado pelo Alan Moore. Claro alguns personagens podem parecer ruins, mas nada que um bom escritor usando uma reformulação ou um reboot não melhore o personagem. Abraço!

  • Herege

    Oi, eu criei 2 super-heróis. Tem como eu participar?

%d blogueiros gostam disto: