Nocturnal Animals (Animais Noturnos) - Critica
Preloader

Estrelado por Amy Adams, vencedora dos prêmios de Melhor Atriz no Globo de Ouro de 2014/2015 e Jake Gyllenhaal, Animais Noturnos chega ao Brasil já com status de cult. Com uma bilheteria modesta, que até o momento apenas cobriu seus custos, o longa é um sucesso de crítica, e tem tudo para ser um filme que ganhará seus devidos holofotes apenas daqui a alguns anos, quando for redescoberto.

 

O diretor Tom Ford, aclamado estilista, utiliza-se de seus conhecimento para entregar um filme muito bonito.

Susan  Morrow (Emy Adams) é uma mulher infeliz em seu relacionamento. Com seu marido gradualmente dando mais atenção para o trabalho e suas traições cada vez mais evidentes, a separação parece próxima. Ao receber um manuscrito de seu primeiro marido, Edward (Jake Gyllenhall), ela começa a relembrar seu passado. A partir desse momento o filme se divide entre 3 histórias, que parecem ser flashs entre o presente, passado e a dramatização do manuscrito. Porém, quanto mais o roteiro se desenvolve, mais confusa a história fica. E isso torna o longa um quebra cabeça que deixa o telespectador ansioso por respostas. Tom Ford, o diretor (Direito de Amar), é estilista, e utiliza dos seus conhecimentos da área para tornar o filme ainda mais interessante. A distinção entre as histórias é feita através de detalhes, como roupas, cores, penteados, etc. É necessário muita atenção para que nenhum detalhe passe despercebido, e acredite, os detalhes serão fundamentais para que os pontos se liguem. O roteiro é cheio de simbolismos e metáforas, porém, não possui pontas soltas. Todas as cenas são importantes, tudo é utilizado para explicar metaforicamente a sua trama central. É um filme sobre vingança, decisões erradas e o quanto se deixar levar por opiniões alheias pode ser um problema. É difícil falar da história sem dar spoiler, então o que você precisa saber é: assista e preste muita atenção, e se possível, assista novamente. Vale a pena.

Com um ótimo e premiado elenco, as atuações são um dos pontos altos do filme.

O longa conta com ótimas atuações, Amy Adams trabalha muito bem as expressões, já que sua personagem passa boa parte do tempo lendo ou refletindo sobre as situações, um trabalho realmente muito bom da atriz. Jake Gyllenhall mantém a atuação de seus filmes cult, dando o ar humano que ele sabe dar aos personagens, reagindo muito bem as situações que enfrenta. Não é nada muito diferente do que já vimos Gyllenhall fazer em seus outros filmes, mas o ator entrega tudo que é necessário para o papel, passando todo o drama pesado que envolve o personagem, consolidando-se cada vez mais como um dos melhores atores da sua geração. Os coadjuvantes do filme também entregam ótimas atuações. Michael Shannon convence muito bem como um detive que não tem mais nada a perder, trabalhando em busca de solucionar o seu último caso. Aaron Johnson ganhou o Prêmio Globo de Ouro 2017 de Melhor Ator Coadjuvante fazendo o papel de um sociopata no longa, acho que isso já demonstra o quanto ele está bem.

Animais Noturnos não é um filme para qualquer um. É lento, pesado e agressivo. Sua linha de direção e estilo de roteiro remetem a filmes como O Homem Duplicado (também protagonizado por Jake Gyllenhall) e Drive. Um clima niilista e dramático envolve a trama do começo ao fim, sendo uma ótima pedida para um dia chuvoso, frio e sozinho. Assista se estiver disposto a ficar 120 minutos sem perder o foco e passar algum tempo tentando ligar os pontos que envolvem a trama.

Nota: 4,3/5.

Revisado por: Bruna Vieira.

About the Author

Amante de filmes e series que ninguém assiste, psicologia, filosofia e memes. Em busca de conversas sobre a vida, o universo e tudo mais.