Crítica - John Wick: Um Novo Dia Para Matar
Preloader

Após os fatídicos eventos do primeiro longa, De Volta ao Jogo, tudo o que o lendário John Wick (Keanu Reeves) quer é recuperar o seu carro e enfim voltar para a tranquilidade. Mas nem tudo são flores para o mercenário, na verdade, as coisas pioram e muito em Um Novo Dia Para Matar.

Sua moeda de entrada para a sua aposentadoria volta a ser cobrada, já que John nunca deveria ter voltado á ativa. Desse modo, Santino D’Antonio (Riccardo Scarmacio), cobra uma dívida existente pedindo que John mate sua irmã, Gianna (Claudia Gerini).

John Wick tem duas opções: honrar a dívida e estar livre dessa vida, ou morrer.

O homem. O mito. A lenda. John Wick (Keanu Reeves).

 

Todavia, Santino não é alguém em que John possa confiar, e o protagonista descobre isso já em Roma, para a sua missão iminente.

Para quem assistiu ao primeiro filme, já sabe o que esperar em John Wick: Um Novo Dia Para Matar, para os desavisados, porém, lhes digo que não conseguirão nem piscar no cinema. O filme se inicia com muita ação e porradaria e termina de forma eletrizante.

A franquia mostra respeito ao telespectador, ao trazer um personagem que não é um herói, no qual inicia e termina o filme de forma imaculada, sem sofrer um arranhão. John Wick é um personagem simplesmente fantástico e que impõe respeito em geral, ele bate e apanha, atira muito, e sim, suas armas não possuem munições infinitas como muitos filmes do gênero. Além disso, as sociedades secretas dos mercenários é ainda mais aprofundada no longa, algo que é muito interessante.

O cara que faz o auê. Santino D’Antonio (Riccardo Scarmacio).

 

Santino D’Antonio pode ser um chefão meio fraco, mas são as suas conexões que fazem o trem pegar fogo. Não posso me prolongar na crítica, pois teria que dar spoilers, mas o que posso afirmar é que você sairá do cinema e irá querer assistir novamente.

Se o primeiro longa fora surpreendente, tenha em mente que o segundo é muito melhor. Nas palavras de muitos leitores que consultam o Oracullo: FILMÃO DA PORRA.

A fotografia do filme é um pouco dark, mostrando o contraste entre a arquitetura de Nova York e Roma. Aos apaixonados por armas e carros, com certeza o filme lhes agradará. As cenas de luta são bem coreografadas e Keanu mostra do que John Wick é feito.

O enredo segue o término do primeiro filme, então sim, assista-o antes. O final deste segundo filme traz uma ótima ponta para o próximo da franquia, e sim, a porra vai ficar muito mais séria no terceiro filme.

John Wick: Um Novo Dia Para Matar é um filme de respeito, colocando o gênero de ação em outro patamar. Suas duas horas de duração nem serão sentidas.

 

Nota: 5/5

Ficha Técnica

John Wick: Um Novo Dia Para Matar (John Wick: Chapter 2)

País: Estados Unidos.
Duração: 
2h 03m.
Direção: 
Chad Stahelski.

Elenco:  Keanu ReevesCommonLaurence Fishburne,  Riccardo Scamarcio, Ruby Rose,

Lance Reddick, Bridget Moynahan, John Leguizamo, entre outros.

Distribuidora: Paris Filmes.

Estreia: 16 de fevereiro de 2017.

About the Author

Licenciada em Letras, é tradutora, copidesque, revisora e colaboradora da área de livros do Oracullo. Viciada em Netflix, doramas e livros.