"A chama dentro de nós aborda como a esperança pode ser uma faca de dois gumes"
Preloader

Publicado pela Editora Record, selo do Grupo Editorial Record, A chama dentro de nós traz a história de Logan Francis Silverstone, um personagem caótico em busca da felicidade.
Logan não leva uma vida fácil, durante toda a sua infância e adolescência ele teve que lutar todos os dias por sua sobrevivência. Tendo uma mãe viciada e um pai traficante que só traz desespero para sua família, Logan vive cercado de sonhos ceifados.

E sua vida é um inferno até que ele conhece Alyssa Marie Walters.
Logan e Alyssa são extremos opostos, mas suas vidas não são nada fáceis, então eles encontram conforto um no outro, e este resulta em uma bela amizade, onde ambos se ajudam e fazem com que o outro consiga respirar.

“Ela ia à igreja, enquanto eu fumava maconha na esquina. Ela acreditava em Deus, enquanto eu enfrentava meus próprios demônios. Ela tinha um futuro, enquanto eu, de alguma forma, parecia preso no passado.”

“Descobri que um lar não é um lugar específico, mas a sensação que temos quando estamos com as pessoas que são importantes para nós, um sentimento de paz que apaga os incêndios da alma.”

Dois anos se passam e Logan vive trabalhando para pagar o aluguel, cuidar da mãe ainda mais viciada e torcendo para que seu pai não apareça. Desse modo, Alyssa, Kellan e as drogas são as únicas válvulas de escape que ele encontra para conseguir viver um dia após o outro.
Kellan é o irmão mais velho de Logan, porém tendo pais diferentes, ele leva sua vida o mais longe que pode, mas sempre ajudando Logan e sua mãe. Já Alyssa se encontra cada vez mais apaixonada pelo amigo, e eles resolvem dar uma oportunidade para tal sentimento.

“Talvez ele apenas existisse em vez de viver.”

“Sua alma estava em chamas,
e ele queimava qualquer um que
ousasse se aproximar.
Ela se aproximou,
sem temer as cinzas em que
estavam prestes a se transformar.”

Mas, conforme os problemas de ambos começam a ficar cada vez piores, nada de bom poderá sair disso. E como uma desgraça nunca vem sozinha, Logan não consegue aguentar mais e as reviravoltas trarão consequências terríveis para os jovens.

“(…) – O que fizemos a essas pessoas? Seus pais. Meus pais. O que fizemos de errado?”

“ – Não quero te ver nunca mais.”

“Das cinzas, eles se ergueram
E queimaram uma vez mais.
Ele nunca se esqueceu do brilho dela,
E ela não se esqueceu dele jamais.”

 

Cinco anos após o que aconteceu a Alyssa e Logan, a vida traz novamente a oportunidade de um possível reencontro, mas Logan não consegue se perdoar pelo ocorrido anos antes.

“Todas as noites eu acendia um, cigarro e me sentava na janela. Enquanto ele queimava, eu me permitia lembrar do passado.
(…). Às vezes, o cigarro queimava por oito minutos. Outras vezes, dez. Mas o que nunca mudava, não importava quanto tempo durasse, era o fato de que meu coração, já devastado, sempre se dilacerava um pouco mais.”

Com o seu retorno, Logan descobre algo que o abala terrivelmente, e este fato junto das lembranças dolorosas culminam novamente em algo muito difícil de lidar. Será que Logan conseguirá passar por tudo isso sem ter danos irreparáveis?
A chama dentro de nós é uma obra crua e arrebatadora, abordando temas que estão em discussão na sociedade, como as drogas, a violência doméstica, o bullying feito pela própria família e, a consequência de tudo, a depressão.
Logan é um personagem tão quebrado, devastado, cansado…. A chama de esperança de uma vida melhor é o seu céu e inferno. E isso culmina em uma personalidade quebrada e dramática.
Alyssa é a personagem que consegue manter a sanidade de Logan, mesmo fazendo com que a dela própria tenha danos no processo.
Os personagens e situações são muito reais, e o leitor constantemente reflete sobre o que está acontecendo na obra e sobre as ações e reações que esta traz.

Brittainy C. Cherry fugiu do amor romântico de O ar que ele respira e trouxe algo totalmente real, trágico e belo neste segundo livro da Série Elementos, porém tenho a sensação de que faltara algo.
Os personagens são muito inconstantes e houve momentos em que eu não conseguia entende-los, e isso resultou na impossibilidade de me cativar e compreende-los totalmente.

Eu recomendo muito esta obra, mas trago uma dica para quem espera algo mais impactante que o primeiro livro: leia desprovido de expectativas.

“Quando ela sentiu frio, dei meu moleton a ela.
Quando meu coração parecia prestes a se despedaçar, ela segurou minha mão.”

O terceiro volume da série, The Silent Waters, ainda não tem previsão de lançamento no Brasil. Lembrando que as histórias não são conectadas, ou seja, pode ler tranquilamente fora da ordem de lançamento.

Outros livros da série:

Este slideshow necessita de JavaScript.

About the Author

Licenciada em Letras, é tradutora, copidesque, revisora e colaboradora da área de livros do Oracullo. Viciada em Netflix, doramas e livros.

%d blogueiros gostam disto: